Equipes detectam forte aumento de radiação em Daiichi

Equipes de emergência que tentam retirar água contaminada de dentro do complexo nuclear de Daiichi, em Fukushima, no Japão, abandonaram às pressas um dos reatores danificados pelo terremoto do dia 11 após ser verificado um forte aumento da radioatividade no local. Autoridades informaram níveis de radioatividade 10 milhões de vezes mais altos do que o normal no sistema de resfriamento do reator.

AE, Agência Estado

27 de março de 2011 | 09h42

O número é tão alto que o funcionário que media os níveis de radiação abandonou o local antes de fazer a segunda medição. Não ficou imediatamente claro, no entanto, por quanto tempo os trabalhadores foram expostos à água altamente contaminada ou há quanto tempo os níveis de radiação estão tão altos.

Autoridades dizem que ainda não sabem de onde a água contaminada está vindo, mas Yukio Edano, chefe de gabinete do governo do Japão, afirmou que é "quase certo" que ela está vazando do núcleo rompido de um dos reatores.

A notícia surge após autoridades reconhecerem que há água contaminada nos quatro reatores mais danificados de Daiichi e que a radiação dentro de um dos reatores está em 1 mil milisieverts por hora - quatro vezes acima do limite considerado seguro pelo governo, de acordo com Takashi Kurita, porta-voz da Tokyo Electric Power Co. (Tepco).

Embora a descoberta dos altos níveis de radiação - e a retirada às pressas dos trabalhadores de um dos reatores - tenha novamente atrasado os esforços para colocar a usina sob controle, Edano insistiu que a situação foi parcialmente estabilizada. "De certa forma nós evitamos que a situação piorasse", disse Edano. "Mas as perspectivas não estão melhorando da forma correta e nós esperamos reveses. A água contaminada é um deles e nós continuamos a consertar os danos", acrescentou.

Cerca de 600 pessoas trabalham dentro da usina de Daiichi em turnos. Autoridades de segurança nuclear afirmam que o período de permanência das equipes dentro dos reatores com problemas é monitorado de perto, para minimizar a exposição deles à radioatividade. No entanto, dois funcionários foram hospitalizados na quinta-feira, depois de sofrerem queimaduras ao pisar em água contaminada. Eles deverão receber alta na segunda-feira. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Japãoterremotoradioatividade

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.