Royal Thai Navy / EFE
Royal Thai Navy / EFE

Meninos em caverna na Tailândia começam a ter aulas de mergulho

Doze adolescentes integrantes de uma equipe de futebol e seu treinador começam a ser preparados para sua operação de resgate na Tailândia; novo vídeo é divulgado

O Estado de S.Paulo

04 Julho 2018 | 06h21
Atualizado 04 Julho 2018 | 21h47

MAE SAI, TAILÂNDIA - Equipes de resgate do norte da Tailândia começaram nesta quarta-feira, 4, a dar aulas intensivas de mergulho e natação para os 12 meninos e seu treinador que estão presos em uma caverna parcialmente inundada, no norte da Tailândia, como parte dos preparativos para retirá-los do local onde estão há 11 dias.  Um grupo de dez soldados liderados por um médico militar acompanha as crianças.

+ Não sabíamos se seríamos resgatados, assim como eles, diz mineiro chileno

+ Para entender: os riscos no resgate dos meninos presos em uma caverna na Tailândia

Ruetaiwan Patisen, porta-voz das equipes de resgate, afirmou que os garotos estão bem, apesar de terem ficado dez dias sem comer, e que os soldados permanecerão com eles até que sejam resgatados da caverna, localizada na Província de Chiang Rai.

+ Temor de novas inundações pode antecipar resgate de grupo preso em caverna, diz ministro tailandês

+ Mergulhadores que encontraram grupo em caverna na Tailândia são experientes em resgates difíceis

Mergulhadores, médicos e membros das forças especiais da Marinha da Tailândia acompanham os 12 meninos e seu técnico de 25 anos fornecendo-lhes remédios e alimentos, enquanto especialistas avaliam as condições para retirá-los com segurança, uma tarefa que o governo avisou que não será fácil.

As equipes de resgate instalaram um acampamento provisório em uma cavidade a 1,5 quilômetro de onde estão os meninos, para transferir pouco a pouco o material de resgate. Em alguns trechos, é difícil passar usando cilindros de oxigênio.

“A água é muito forte e o espaço é estreito. Retirar as crianças exige muitas pessoas”, explicou o vice-primeiro-ministro, Prawit Wongsuwan. Segundo ele, se o nível das águas e a correnteza diminuírem, elas serão retiradas rapidamente.

Até a noite de terça-feira, cerca de 120 milhões de litros de água haviam sido bombeados da galeria. Para deixar a caverna pelo mesmo caminho que fizeram ao entrar quando ela estava seca, eles teriam de mergulhar cerca de um quilômetro no total, mas de maneira intercalada, passando por áreas sem alagamento.

Um novo vídeo publicado pela Marinha tailandesa mostra os meninos magros e agasalhados com cobertores térmicos, mas rindo e conversando. Eles garantem estar saudáveis. Cada um deles é mostrado com um facho de luz, diz olá e se apresenta com a cabeça abaixada e as mãos unidas, uma saudação “wai” tradicional.

Veja abaixo o novo vídeo gravado pelos socorristas.

Por enquanto, os adolescentes entre 11 e 16 anos e seu treinador de futebol, de 26 anos, estão sendo alimentados com suplementos energéticos e vitaminas. As autoridades acreditam que os trabalhos de resgate podem durar de uma semana a alguns meses.

As equipes demoram entre 3 e 4 horas para percorrer os 3 km entre entrada e o local onde está o grupo através de passagens inundadas e algumas acima da água.

Os garotos foram localizados após vários dias de intensas buscas na caverna de 10 km de extensão que está parcialmente inundada. O trabalho foi feito com a ajuda do Exército tailandês e especialistas dos EUA, Japão, China e Austrália, entre outros.

De acordo com a versão oficial, os jovens e o técnico entraram na caverna no dia 23 de junho após um treino. Pouco depois, começou um temporal que inundou o trecho inicial, impedindo que eles conseguissem sair. / EFE, REUTERS e AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.