Carl Court/AFP
Carl Court/AFP

''Era questão de tempo'', diz mãe de Amy

Janis esteve com a filha na sexta-feira, quando ela lhe pareceu ''desorientada''; autópsia do corpo da cantora de 27 anos foi adiada para hoje

, O Estado de S.Paulo

25 de julho de 2011 | 00h00

LONDRES

A mãe da cantora Amy Winehouse afirmou ontem que a morte de sua filha, encontrada sem vida na tarde de sábado em seu apartamento, era "uma questão de tempo". Em entrevista ao Daily Mirror, Janis contou que esteve com Amy na sexta-feira e que ela "parecia desorientada". A causa da morte da cantora ainda é desconhecida. A autópsia, que seria realizada ontem, foi adiada para a manhã de hoje.

Um vizinho de Amy, que morava em Camden Square, no norte de Londres, afirmou ontem que, na noite de sexta, ouviu gritos vindos do apartamento da cantora. "O barulho era enorme, como se alguém estivesse com muita dor", disse ele, que pediu anonimato.

Apesar da tese de que a cantora, conhecida pelo consumo de álcool e drogas, com um histórico de internações em clínicas de recuperação e hospitais, teria sido vítima de overdose, a polícia pediu cautela e considera "inadequado" fazer conjecturas sobre a causa da morte da artista, que estava com 27 anos. Segundo a Scotland Yard, nenhuma prisão relacionada ao caso foi feita até agora.

A polícia chegou até a casa de Amy após um telefonema recebido na manhã de sábado. O nome do autor da ligação permanece em sigilo. As primeiras informações divulgadas no fim de semana, diziam que ela havia sido encontrada morta pelos paramédicos. Mas, segundo o site de notícias de celebridades TMZ, fontes ligadas ao caso informaram que ela ainda demonstrava "sinais de vida" quando os paramédicos chegaram, mas morreu antes de ser levada para a ambulância.

O pai de Amy, Mitch, que estava em Nova York, onde começaria uma série de apresentações no Blue Note, chegou na manhã de ontem a Londres, mas não falou com a imprensa. A família da cantora afirmou, em um comunicado oficial, que a está "relembrando" e pediu privacidade neste momento. "Sofremos uma enorme perda com a morte de Amy, encantadora como filha, irmã e sobrinha. Ela deixou um enorme buraco em nossas vidas." / REUTERS E AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.