Erdogan diz que Israel participou de golpe no Egito

O primeiro-ministro da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, acusou Israel de participar do golpe militar contra o presidente egípcio Mohamed Morsi no mês passado.

AE, Agência Estado

20 de agosto de 2013 | 08h21

"O que eles dizem sobre o Egito: democracia não é uma urna de votação. Quem está por trás disso? É Israel", afirmou o premiê, conhecido também por suas duras críticas contra o Estado judeu. As declarações de Erdogan foram feitas em um encontro do Partido Justiça e Desenvolvimento

"Nós temos a evidência", disse ele, citando supostos comentários feitos por um ministro de Justiça israelense em um fórum na França em 2011. De acordo com o premiê, o ministro teria dito que a Irmandade Muçulmana, de Morsi, não seria capaz de permanecer no poder mesmo se ele vencesse as eleições.

Morsi foi empossado como o primeiro presidente democraticamente eleito em junho de 2012, mas foi deposto pelos militares no mês passado, com grande apoio popular.

O Partido Justiça e Desenvolvimento, de Erdogan, que havia desenvolvido laços de com Morsi e a Irmandade Muçulmana, descreveu sua destituição como um "golpe"

A posição da Turquia enfureceu o governo interino apoiado pelos militares do Egito. No mês passado, as novas autoridades do Egito expressaram "forte ressentimento" aos comentários pró-Morsi de Erdogan.

A Turquia tem endurecido o tom frente os novos governantes do Egito após a sangrenta repressão contra apoiadores de Morsi, convocando seu embaixador no Cairo.

Manifestações diárias de apoio a Morsi, desde então, têm ocorrido na Turquia e os dois países cancelaram exercícios navais conjuntos previstos para outubro. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
turquiaisraelegitogolpe

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.