Burhan Ozbilici/AP Photo
Burhan Ozbilici/AP Photo

Erdogan diz que 'não recuará' na compra de mísseis russos

Estados Unidos ameaçam não ajudar na produção do jato F-35 caso a Turquia prossiga com a compra do sistema de defesa aéreo russo

Redação, O Estado de S.Paulo

25 de junho de 2019 | 07h33

A Turquia "não recuará" na compra dos mísseis russos S-400, disse o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan nesta terça-feira, 25. O país, que sofre pressão dos Estados Unidos para cancelar o negócio, fará parte do encontro do G20 no Japão.

"O assunto (da compra) dos S-400 está diretamente relacionado a nossa soberania e não daremos o braço a torcer neste tema", declarou Erdogan em discurso diante dos deputados de seu partido em Ancara. Ele ainda afirmou que a entrega dos mísseis começaria "no próximo mês".

O presidente turco ainda afirmou que seu país não tem que negociar assuntos de segurança nacional com outros países.

EUA pressionam para o fim do negócio

O enviado americano na Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) disse que seu país não ajudará a produzir o jato F-35 caso a Turquia prossiga com a compra do sistema de defesa aéreo russo.

"Haverá uma dissociação com o sistema F-35. Não podemos desestabilizar o sistema F-35 com essa introdução do sistema russo na aliança da Otan" disse Kay Bailey Hutchison, embaixador dos Estados Unidos na Otan.

Donald Trump e Erdogan se reunirão um mês antes do prazo que Washington deu para que Ancara renunciasse aos mísseis russos. Do contrário, os americanos aplicarão sanções aos turcos. / Com informações da Reuters e AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.