Erdogan pede que Obama não desconsidere acordo

O primeiro-ministro da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, pediu ao presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, que não desconsidere o acordo de troca de combustível nuclear fechado com o Irã e dê uma chance à diplomacia, informou hoje seu escritório de comunicação.

AE, Agência Estado

21 de maio de 2010 | 12h56

O pedido de Erdogan foi feito depois de Washington ter submetido à Organização das Nações Unidas (ONU) uma resolução que pede uma nova rodada de sanções contra o Irã e descreve o acordo de troca de combustível como insuficiente.

Em carta a Obama, Erdogan disse que o acordo não resolve a questão do programa nuclear iraniano, "mas representa uma oportunidade importante para resolver a questão por meios diplomáticos", diz o comunicado.

Pelo acordo - impulsionado pela Turquia e pelo Brasil, ambos membros não permanente do Conselho de Segurança da ONU - o Irã se compromete a enviar cerca de metade de seu urânio de baixo enriquecimento para a Turquia em troca de combustível nuclear para um reator localizado em Teerã.

Em ligação telefônica a Erdogan na terça-feira, Obama reconheceu o acordo, mas disse que Washington continuaria a pressionar por novas sanções da ONU, citando as contínuas preocupações da comunidade internacional sobre o programa nuclear iraniano.

Washington e seus aliados suspeitam que o programa de Teerã seja uma forma de acobertar uma tentativa de produzir armas nucleares, mas Teerã nega a acusação. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.