Erdogan se desculpa por morte de curdos nos anos 1930

O primeiro-ministro da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, pediu desculpas nesta quarta-feira por uma sangrenta campanha militar que matou milhares de curdos no sudeste do país no fim dos anos 1930. "Se for necessário pedir desculpas em nome do Estado... Eu vou pedir desculpas, estou me desculpando", afirmou Erdogan, em Ancara, aos membros de seu Partido da Justiça e Desenvolvimento, conhecido como AKP, em declarações transmitidas pela TV.

AE, Agência Estado

23 de novembro de 2011 | 12h27

Foi o primeiro pedido de desculpas oficial em relação ao ataque aéreo e às operações em solo na cidade de Dersim, agora renomeada para Tunceli, que mataram 13.800 pessoas entre 1936 e 1939, de acordo com um documento oficial da época que Erdogan citou em seu discurso. A ofensiva ocorreu sob o domínio do atual principal partido opositor, o Partido Republicano do Povo (CHP, na sigla em turco), que foi fundado por Mustafa Kemal Ataturk, também fundador do moderno Estado turco. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Turquiamassacrecurdosdesculpas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.