Erro de direção causou naufrágio do Titanic, diz livro

O naufrágio do Titanic ocorreu por um erro na condução do navio, afirma um livro recém-publicado sobre o tema, segundo o jornal britânico Telegraph. Antes, a crença era a de que o acidente, que resultou no naufrágio, aconteceu porque a embarcação estava muito rápida e não conseguiu desviar a tempo de um iceberg. O Titanic afundou em sua viagem inaugural, partindo de Southampton, na Inglaterra, com destino a Nova York, em 1912.

AE, Agência Estado

22 de setembro de 2010 | 15h43

O livro afirma que o navio tinha tempo suficiente para desviar da parede de gelo, mas o timoneiro se desesperou e virou para o lado errado. Quando a rota foi corrigida, já era tarde e a colisão acabou ocorrendo. Mesmo nesse momento, os passageiros e a tripulação poderiam ser salvos, caso o Titanic tivesse permanecido parado, porém a tripulação tentou mover o navio de novo, o que fez com que a água invadisse o casco quebrado.

O segundo oficial Charles Lightoller encobriu o erro em duas investigações, dos dois lados do Atlântico, nos Estados Unidos e na Grã-Bretanha, pois temia que os proprietários do navio falissem e seus colegas perdessem o emprego, segundo o Telegraph. Desde a morte dele, o segredo foi mantido para a reputação dele não ser arruinada. Agora, sua neta, a escritora Lady (Louise) Patten, revelou o caso em seu novo romance, Good as Gold.

O livro afirma que o acidente envolveu erro de comunicação. Parte da tripulação usava uma forma antiga de nomear as direções para a rota do navio, enquanto o restante já estava utilizando um sistema mais moderno. Quando uma ordem mandou o timoneiro mudar a direção para a direita, ele acabou entendendo de modo errado e virando para a esquerda, precipitando a tragédia. Mesmo com a correção da rota, não foi possível evitar a colisão nesse ponto.

Lightoller acabou sendo o único sobrevivente que sabia o que ocorrera de fato. Um herói de guerra, ele decidiu esconder a verdade, achando que tinha um dever de honra com seu empregador. "A única pessoa para quem ele contou a história verdadeira foi para sua amada esposa, Sylvia, minha avó", contou a autora. A avó acabou revelando o segredo à neta, que anos depois resolveu contá-lo a partir de um romance.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.