REUTERS/Jon Nazca
REUTERS/Jon Nazca

Erupção de vulcão se intensifica nas Ilhas Canárias; quase 6 mil pessoas já deixaram suas casas

Localizado em La Palma, o vulcão Cumbre Vieja deu início a uma nova fase explosiva após ter entrado em erupção no domingo passado

Redação, O Estado de S.Paulo

25 de setembro de 2021 | 12h00

LA PALMA - Explosões vulcânicas lançaram lava em brasa para o alto de La Palma neste sábado, 25, forçando a pequena ilha espanhola a fechar seu aeroporto e impedindo que algumas pessoas saíssem. Após ter entrado em erupção no domingo passado, 19, o vulcão Cumbre Vieja deu início a uma nova fase explosiva nas Ilhas Canárias.

Como uma das consequências desse cenário, a operadora aeroportuária espanhola Aena informou que o aeroporto de La Palma foi fechado por causa das explosões recentes. O vulcão já expeliu até aqui milhares de toneladas de lava, destruiu centenas de casas e forçou a evacuação de quase 6 mil pessoas da ilha.

“O aeroporto de La Palma está inoperante devido ao acúmulo de cinzas. As tarefas de limpeza já começaram, mas a situação pode mudar a qualquer momento”, informou a Aena por meio das redes sociais.

Trabalhadores varreram cinzas vulcânicas da pista, placas eletrônicas mostravam voos cancelados e o saguão de embarque estava silencioso, pois algumas pessoas que chegaram ao aeroporto descobriram que não seriam capazes de deixar a ilha no Atlântico.

"Devíamos partir hoje, mas o voo foi cancelado. Não há voos para Tenerife amanhã, o próximo é na segunda-feira, por isso temos de ficar mais duas noites", disse Laura, 46, de Madrid. Ela deveria voar de volta para a capital espanhola via Tenerife para trabalhar.

Foram evacuadas nesta sexta-feira, 24, as cidades de Tajuya, Tacande de Abajo e a parte de Tacande de Arriba que ainda não havia sido evacuada após a abertura de um novo respiradouro no flanco do vulcão. As pessoas que moravam nessas regiões não poderão retornar às suas casas para recuperar seus pertences por causa da "evolução da emergência vulcânica", disseram as autoridades locais.

"As medições de vigilância vulcânica realizadas desde o início da erupção registraram a atividade de maior energia até agora durante a tarde de sexta-feira", disseram os serviços de emergência. La Palma, com uma população de mais de 83 mil habitantes, faz parte de um arquipélago que constitui as Ilhas Canárias.

No tranquilo porto de Tazacorte, os pescadores descreveram o efeito devastador que a erupção teve em seus meios de subsistência. "Faz uma semana que não pescamos, a área está fechada", disse José Nicolas San Luis Perez, 49, que perdeu sua casa na erupção. 

"Cerca de metade das pessoas que conheço perderam suas casas", disse em entrevista à agência Reuters. "Encontro amigos na rua e começamos a chorar."

Vídeos compartilhados nas redes sociais mostraram uma grande onda de choque emanando do local da erupção na sexta-feira. Até o momento, nenhuma morte ou ferimento grave foi relatado por conta da erupção do vulcão. /REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
Ilhas Canáriasvulcão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.