Erupção vulcânica leva milhares a abandonar casas na Indonésia

O vulcão Gamalama começou a expelir lavas e cinzas na noite de domingo, obrigando milhares de moradores da região a abandonarem suas casas, na localidade de Ternate, no leste da Indonésia.

REUTERS

05 de dezembro de 2011 | 10h20

Não há relatos imediatos de vítimas por causa da erupção no vulcão, que tem 1.715 metros de altura.

Os moradores fugiram levando apenas a roupa do corpo. Um grande número se refugiou na casa do governador local.

"Aconselhamos os moradores a usarem máscaras e a autoridade local a fechar o aeroporto até que tudo se normalize", disse o chefe do centro de Vulcanologia e Mitigação de Desastres Geológicos da Indonésia, Surono (que, como muitos indonésios, usa um só nome).

Segundo ele, muitos moradores já estão voltando para casa, embora as autoridades mantenham o nível de alerta no segundo grau mais alto.

O aeroporto Sultão Babullah foi fechado, segundo um porta-voz da empresa Garuda, que opera dois voos diários para Ternate, situada no arquipélago das Molucas.

O vulcão está cercado por plantações de cravo, um dos produtos que deram à região seu antigo nome de "Ilha das Especiarias" e que atraíram portugueses e holandeses para cá séculos atrás. A cidade de Ternate hoje é um núcleo econômico regional, e o arquipélago também é conhecido pela extração de níquel.

A Indonésia, quarto país mais populoso do mundo, fica no "Anel de Fogo" do Pacífico, uma enorme área geologicamente instável e propensa a terremotos, vulcões e tsunamis.

(Reportagem da Redação em Jacarta)

Tudo o que sabemos sobre:
INDONESIAVULCAOGAMALAMA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.