Erupções do Etna forçam fechamento de escolas e aeroportos

A forte erupção do Etna, o vulcão mais alto e ativo da Europa, que expeliu ontem uma corrente de lava, fez soar o alarme em várias localidades próximas e manter fechados o aeroporto e as escolas de uma localidade próxima à cidade de Catânia (no nordeste da Sicília) e suas imediações.O rio de lava começou a descer ontem da montanha, a partir da encosta de Linguaglossa, estendendo-se por 1.500 metros, com uma largura de 200 metros; em seguida, da escosta de Nicolosi começou a jorrar outro rio de magma. O magma fervente do Etna prossegue destruindo os bosques de Linguaglossa, apesar da contínua intervenção dos bombeiros e de dois aviões Canadair a serviço do combate às chamas.O pároco da igreja de Linguaglossa, um distrito de Catânia, anunciou que o templo permanecerá aberto para os fiéis. O prefeito da localidade, por sua vez, decidiu fechar preventivamente as escolas hoje e amanhã. Em Catânia, segunda cidade da Sicília, localizada a 30 km da base do Etna, a "chuva negra" de cinzas obrigou os habitantes a saírem às ruas de guarda-chuva, enquanto o tráfego era interrompido em várias zonas da cidade, devido ao acúmulo de cinzas sobre o asfalto. A forte atividade do vulcão provocou graves danos para a agricultura da região, devido à lava que invadiu plantações inteiras e à chuva de cinzas, avisa a associação de agricultores sicialinos. Além de Catânia, a chuva de cinzas prejudicou os campos de cultivo em Siracusa e Ragusa, outras duas importantes cidades da região da Sicília, no sul da Itália. Um grupo de deputados locais pediu ao governo de Roma e da União Européia o reconhecimento urgente do estado de calamidade pública, em razão dos danos à economia local provocados pelo fenômeno.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.