Escalada de violência no território palestino continua

O presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, continua nesta terça-feira sua visita à Jordânia, apesar da grave criseinterna nos territórios palestinos. Desde domingo, confrontos entre milicianos do Hamas e do Fatah mataram 12 pessoas e deixaram cerca de 150 feridos, segundo fontes palestinas. Porta-vozes do Fatah responsabilizam pela onda de violência o ministro do Interior, Said Siyam, que chamam de "ministro do terror interior". Ele mandou 3.500 milicianos do Hamas reprimiremempregados públicos e policiais que se manifestaram contra o governo do primeiro-ministro Ismail Haniye por não receberem salários há sete meses. Milicianos do Fatah, na oposição, exigem o julgamento de Siyam e de Yousef Zahar, irmão do ministro de Relações Exteriores, MahmoudZahar, da linha dura do Hamas. O ex-ministro de governo Local Sufian Abu Zaida, do Fatah,reconheceu em declarações à rádio pública israelense que a crise interna "é muito grave". Abu Zaida responsabilizou "a falta de pragmatismo político" do governo do Hamas pela situação, por se negar a aceitar exigências da comunidade internacional para formar um governo de união nacional com o Fatah, o que permitiria aos palestinos recuperar as ajudas querecebia da União Européia e Estados Unidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.