Escândalo com filho deixa Kofi Annan "desapontado"

O secretário-geral da ONU, Kofi Annan, declarou-se "muito surpreso e desapontado" com a revelação de que seu filho recebeu pagamentos, até fevereiro deste ano, de uma empresa contratada dentro do programa de petróleo por comida do Iraque. O programa está sob investigação, por suspeitas de corrupção.Kofi Annan disse a jornalistas que acreditava que seu filho, Kojo, havia parado de receber pagamentos da empresa Cotecna Inspection S.A. em 1998. "não esperava que o relacionamento continuasse", afirmou o secretário-geral. Na sexta-feira, o porta-voz da ONU, Fred Eckhard, disse que os advogados de Kojo Annan haviam informado a comissão independente, encarregada da investigação, de que o filho do secretário havia recebido da empresa até fevereiro de 2004.A ONU contratou a Cotecna em 31 de dezembro de 1998 para garantir que comida, remédios e outras mercadorias que entravam no Iraque realmente constavam da lista de produtos que o país, sob sanções da ONU, estava autorizado a importar. A investigação apura se houve pagamentos de suborno e desvio de recursos dentro do programa.O embaixador dos EUA na ONU, John Danforth, discutiu a investigação com Kofi Annan nesta segunda-feira. Depois, jornalistas perguntaram-lhe se os Estados Unidos ainda confiam no secretário-geral. "Não creio que o governo americano corra para emitir julgamentos antes que todos os fatos sejam apresentados", respondeu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.