Escândalo extraconjugal derruba membro do Governo japonês

O chefe da comissão fiscal do Governo japonês, Masaki Honma, apresentou nesta quinta-feira sua renúncia após se envolver em um escândalo por ceder à sua amante um apartamento para o alojamento de funcionários.A renúncia é mais um problema para o primeiro-ministro, Shinzo Abe, cuja popularidade está em queda livre nas últimas semanas por causa de decisões polêmicas e revelações embaraçosas.Pressionado por setores tanto do Partido Liberal-Democrata (PLD) quanto da oposição, Abe se viu obrigado a aceitar a renúncia de um dos seus homens de confiança, que havia nomeado há dois meses.Segundo os analistas, Abe nomeou Honma para incentivar sua política de dar prioridade ao crescimento econômico reforçando o setor corporativo. Ele é conhecido como advogado tributarista de grandes companhias.A pressão sobre Honma começou quando a revista "Weekly Post" publicou que ele havia utilizado o apartamento de 96 metros quadrados que o Governo pôs à sua disposição em Tóquio para abrigar a sua amante.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.