Escândalo no Afeganistão põe Alemanha em alerta

O escândalo em torno dos soldados alemães que profanaram cadáveres no Afeganistão fez com que aumentasse o perigo de que a Alemanha se transforme em alvo de atentados de radicais islâmicos, segundo advertiram neste domingo políticos e especialistas antiterroristas."Esse tipo de incidente não faz mais do que dar munição para uma maior radicalização dos extremistas islâmicos", assinala o ministro do Interior da Baviera, Günther Beckstein, segundo o jornal Bild am Sonntag.O escândalo surgiu com a publicação de fotos nas quais é possível ver soldados alemães no Afeganistão com caveiras e outros restos humanos procedentes de uma vala comum abandonada.O jornal revela também que o Ministério da Defesa adverte em um documento confidencial sobre o aumento do perigo de atentados na Alemanha e ataques contra as tropas no Afeganistão.O ministro federal do Interior, Wolfgang Schäuble, declarou que não se pode concretizar se as polêmicas fotos vão ter algum tipo de influência na segurança alemã.Enquanto isso, cresce na coalizão governamental o temor de que o Exército se veja transbordado no momento de cumprir missões internacionais perigosas.Tanto o atual ministro da Defesa, o democrata-cristão Franz Josef Jung, como seu antecessor no cargo, o social-democrata Peter Struck, comentam na imprensa que neste momento é melhor mostrar-se reservados. Struck assinalou que seria preciso refletir sobre uma redução dessas missões."Embora ainda exista no Parlamento um amplo apoio às missões internacionais, cada vez são mais os deputados que consideram que se alcançaram os limites máximos", assinala o ministro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.