Escândalo provoca renúncia de premiê da República Checa

O primeiro-ministro da República Checa, Petr Necas, afirmou neste domingo que vai renunciar porque um de seus principais assessores foi acusado de praticar abuso de poder. "Vou entregar minha renúncia ao presidente (Milos Zeman) amanhã", disse Necas, após uma reunião com representantes de sua coalizão. "Todo o governo vai, portanto, renunciar comigo."

STEFÂNIA AKEL, Agência Estado

16 de junho de 2013 | 20h56

Sua decisão vai acabar com sua coalizão de governo de três partidos, criada após as eleições parlamentares de 2010. Mas Necas disse esperar que a coalizão possa continuar governando até as eleições parlamentares do ano que vem. Ele informou que vai renunciar também ao cargo de presidente de sua legenda, o Partido Democrático Cívico.

A decisão do premiê foi tomada após seu assessor, Jana Nagyova, ter sido preso juntamente com outras seis autoridades públicas, todas acusadas de praticarem suborno e abuso de poder. Necas vem sofrendo pressão há dias, mas afirmou recentemente que continuaria no poder e que as acusações contra membros do seu governo são infundadas. As informações são da Dow Jones Newswires e da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.