Escândalo sexual leva mais uma autoridade chinesa à prisão

Uma autoridade pública demitida depois de um escândalo sexual foi condenada nesta sexta-feira a 14 anos de prisão por corrupção, disse a imprensa estatal, em um novo desdobramento de um caso que mobilizou o país.

Reuters

13 de dezembro de 2013 | 09h30

Han Shuming, ex-chefe distrital na cidade de Chongqing, no sudoeste chinês, foi condenado por aceitar propinas de 4,4 milhões de iuanes (724.759 dólares), segundo sentença de um tribunal local, informou a agência de notícias Xinhua.

Mais de 20 funcionários governamentais e executivos de empresas estatais, incluindo Han, foram investigados depois de serem chantageados por uma quadrilha que usava vídeos sexuais gravados secretamente.

O caso começou a repercutir em novembro de 2012 nas redes sociais chinesas, sempre ávidas por fofocas, quando veio à tona um vídeo em que outra autoridade de Chongqing, Lei Zhengfu, aparecia fazendo sexo com uma amante de 18 anos.

Em junho, Lei foi condenado a 13 anos de prisão por corrupção.

"Han, de 48 anos, tirou proveito da sua posição e auxiliou em contratos de arrendamento de terras e construções para dois empresários de sobrenome Jiang e Li, em troca de subornos, entre 2001 e 2013", disse um documento judicial citado pela Xinhua.

(Reportagem de Michael Martina)

Tudo o que sabemos sobre:
CHINACONDENACAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.