Escândalos sexuais levam a mudança no Direito Canônico

O papa João Paulo II aprovou modificações no Direito Canônico para acelerar a remoção dos padres que cometem abusos sexuais contra menores, anunciou um porta-voz da Conferência Episcopal dos Estados Unidos. Entre as mudanças, segundo a versão anunciada, o Vaticano autorizará os tribunais eclesiásticos, de diáconos especializados em Direito Canônico, a julgar qualquer autoridade religiosa acusada de molestação ou assédio sexual. ?Até hoje, apenas padres podiam ser julgados por tribunais eclesiásticos?, explicou Francis Maniscalco, porta-voz da Conferência.Essas possíveis mudanças do Direito Canônico foram divulgadas logo que 210 sacerdotes foram chamados a Washington para participar de um curso para poderem servir no futuro como juíszes, advogados e testemunhas dos tribunais especiais.Outra mudança de vulto é a autorização que será concedida à Congregação para a Doutrina da Fé, para remover padres acusados sumariamente, sem processo prévio. Isso ocorreria apenas em casos muito específicos, como o de confissão do sacerdote.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.