Escola de arte francesa é acusada de manipular foto de alunos brancos para parecer mais diversa

Cor da pele de alguns estudantes foi modificada na edição, que, segundo instituição, foi realizada por uma agência de publicidade

O Estado de S.Paulo

13 Setembro 2018 | 15h51

LONDRES - Uma escola de arte francesa pediu desculpas publicamente depois de publicar uma foto manipulada de seus alunos, na qual a a pele de alguns deles foi escurecida em uma tentativa de ampliar o apelo da instituição nos Estados Unidos, informou o jornal britânico The Guardian.

Segundo o jornal, ex-alunos da instituição particular Émile Cohl, de Lyon, disseram que a foto havia sido modificada quando foi postada em um site promocional de universidades americanas.

Na foto original, nenhum dos alunos é negro, mas no material promocional, uma das modificações feitas foi na cor da pele de três estudantes. Além disso, duas pessoas foram digitalmente adicionadas à imagem. 

Pelas redes sociais, o público criticou a ação, argumentando que a escola deveria fornecer vagas a alunos negros e não manipular imagens para parecer ser mais diversa. Conforme informou o Guardian, a Émile Cohl afirmou que a manipulação foi realizada por uma agência de publicidade, acrescentando não estar ciente da mudança em relação à foto original.

Mais conteúdo sobre:
publicidade racismo Lyon [França]

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.