Escolas católicas do Canadá proíbem peça infantil sobre identidade de gênero

Organizadores das apresentações classificam cancelamento como transfobia, homofobia e misoginia

O Estado de S.Paulo

04 Maio 2017 | 21h36

NOVA YORK - Várias escolas católicas de Ontário cancelaram as apresentações de uma peça infantil sobre um menino que se veste com roupas femininas e geraram acusações de transfobia na província canadense.

A peça, que explora a identidade de gênero, foi interrompida de repente por seis escolas primárias - cinco delas com filiações católicas - durante a última semana, de acordo com a companhia de teatro que promove o show. As apresentações aconteceriam em escolas na região do Niagara Falls, sul de Ontário.

“Meninos, Meninas e Outras Criaturas Mitológicas” conta a histórias de Simon, um menino de 8 anos que sonha em se tornar uma princesa e se sente preso na caixa dos estereótipos de gênero.

Em uma reunião pública, vários pais reclamaram que o conteúdo da peça era inapropriado, conta Jessica Carmichael, diretora artística do Carousel Players. Ela diz que os cancelamentos mostraram intolerância contra pessoas trans. "Acredito que esses cancelamentos são devidos a transfobia, homofobia e misoginia", disse ela. "Nossa sociedade não é tão tolerante quanto pensamos que somos.”

Em nota, o conselho escolar católico, que supervisiona cinco das escolas que decidiram não apresentar o espetáculo, disse que a peça era "totalmente inclusiva", mas estava preocupado que ela enviasse uma mensagem que vai além da compreensão dos estudantes. "Depois da primeira apresentação, a peça mostrou não ser apropriada para a idade", disse um porta-voz do Conselho Católico do distrito de Niágara. A sexta escola que cancelou a peça não respondeu ao questionamento da reportagem.

Um projeto de lei para incluir proteção explícita para pessoas transgênero contra a discriminação está sendo debatido no parlamento canadense, relata Noa Mendelsohn Aviv, porta-voz da Associação Canadense das Liberdades Civis, com sede em Toronto.

Jackie Hansen, porta-voz da Anistia Internacional do Canadá, disse que houve uma "espantosa" taxa de assédio contra crianças transgêneras em escolas canadenses. Uma pesquisa realizada em 2011 pelos grupos de defesa de direitos LGBT da Egale Canada mostrou que nove entre dez jovens canadenses transgêneros ouviam comentários transfóbicos diariamente ou semanalmente de outros estudantes. /Reuters

Mais conteúdo sobre:
TorontoCanadá

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.