Escritor chinês Mo Yan vence o Nobel de Literatura

O escritor chinês Mo Yan venceu o Nobel de Literatura deste ano, anunciou nesta quinta-feira a Academia Sueca. A escolha é de certa forma surpreendente, já que o comitê do Prêmio vem favorecendo autores europeus nos últimos anos.

AE, Agência Estado

11 de outubro de 2012 | 09h25

A Academia elogiou o "realismo alucinatório" de Mo, dizendo que ele "junta folclore, história e a contemporaneidade". Nascido Guan Moye em 1955, na província de Shangdong, o autor escolheu o pseudônimo quando escrevia sua primeira novela. O nome significa "não fale", explicou ele.

O reconhecimento veio com o livro "Red Sorghum", publicado em 1987. A obra que se passa em um vilarejo e mostra a vida de aldeões, no contexto da guerra contra o Japão, inspirou um filme de mesmo nome, que venceu o principal prêmio do Festival Internacional de Cinema de Berlim em 1988.

Mo escreve sobre prazeres profundos e dilemas existenciais e tende a criar personagens vívidos e loquazes. Seu estilo é frequentemente chamado de "realismo mágico chinês". As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
NobelLiteratura

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.