Escritor chinês pega 10 anos de prisão por 'incitar subversão'

Chen Xi, preso durante os protestos de 1989, é condenado por causa de 36 artigos que publicou na internet

PEQUIM, O Estado de S.Paulo

27 de dezembro de 2011 | 03h06

Um tribunal chinês sentenciou ontem o ativista Chen Xi a 10 anos de prisão por "instigar a subversão do Estado". A dura sentença, anunciada pelo tribunal da cidade de Guiyang, capital da Província de Guizhou, foi imposta por causa de 36 artigos que ele escreveu e postou na internet, disse a mulher de Chen, Zhang Qunxuan.

O governo chinês, que teme uma revolta no país como as que ocorreram no Norte da África e no Oriente Médio, ampliou a repressão aos escritores liberais e artistas para tentar conter a dissidência.

"É totalmente absurdo", disse Zhang. "Chen Xi disse ao tribunal que ele não levou em conta as coisas que escreveu em seu conjunto e interpretou suas palavras fora de contexto", afirmou a mulher do escritor. "A corte disse que ele era um reincidente e isso era um crime muito sério."

Chen participou dos protestos pró-democracia de 1989 na Praça Tiananmen e foi sentenciado a 3 anos de prisão. Vários anos depois, foi preso novamente por 10 anos, acusado de "ofensas contrarrevolucionárias".

A condenação de Chen Xi ocorre dias após outro ativista, Chen Wei, ser sentenciado a 9 anos de prisão pelas mesmas acusações.

O Alto Comissariado da ONU para Direitos Humanos manifestou ontem sua preocupação pelas severas penas contra ativistas na China. / AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.