Escritório da ONU é apedrejado no Paquistão

O Alto Comissariado da ONU para Refugiados teme pela segurança de seus funcionários trabalhando para receber afegãos que cruzam a fronteira com o Paquistão fugindo da guerra. Nesta segunda-feira, o Acnur informou que seu escritório em Quetta, no território paquistanês, foi apedrejado por um grupo que protestava contra os ataques dos Estados Unidos ao Afeganistão. Nenhum funcionário da ONU foi ferido gravemente. Além desse incidente, equipes da ONU tiveram que abandonar algumas missões de assistência perto da fronteira entre o Paquistão e o território afegão. "Se as condições de segurança continuarem a piorar, a assistência que estamos dando aos refugiados poderá estar seriamente comprometida", afirma um assessor do Acnur. Segundo ele, por enquanto o fluxo de refugiados tem se mantido o mesmo dos dias anteriores ao início dos ataques. "Mas todos sabemos que isso irá mudar em breve", afirma. Já existem 3,5 milhões de refugiados do Afeganistão no Irã e no Paquistão e, na avaliação da ONU, os ataques poderão gerar outros 1,5 milhão de refugiados. Hoje, a ONU iniciou reuniões com os governos iraniano e paquistanês para ajudar a identificar novos lugares para o estabelecimento de campos de refugiados. "Necessitamos de pelo menos mais 30 locais para montar os acampamentos", explica o assessor do Acnur. Leia o especial

Agencia Estado,

08 Outubro 2001 | 18h13

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.