Escritório da Varig é depredado na Bolívia

Em 48 horas a Bolívia não só conseguiu entrar na lista dos países mais instáveis da América Latina como permitiu que algumas das empresas estrangeiras instaladas no país fossem depredadas. O escritório da Varig na capital Paz foi destruído entre quarta e quinta-feiras desta semana, quando milhares de manifestantes saíram as ruas em protesto contra o governo."As operações de venda de passagens e o trabalho administrativo foram totalmente suspensos porque as instalações da empresa foram completamente destruídas", disse à Agência Estado o embaixador do Brasil em La Paz, Stélio Marcos Amarante. "Acredito que as operações da Varig custarão muito voltar à normalidade pela falta de condições físicas de seu escritório na capital boliviana".O embaixador relatou, por telefone de La Paz, que o Banco do Brasil, assim como as refinarias da Petrobras (em Cochabamba e em Santa Cruz), não sofreram ataques dos manifestantes. Durante os choques com o Exército, 27 pessoas e alguns policiais morreram e mais de 150 ficaram feridas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.