AFP
AFP

Espaço aéreo da Grã-Bretanha é reaberto

Segundo o Serviço Nacional de Tráfego Aéreo britânico, problema foi uma queda de energia em sua sede, na Inglaterra

O Estado de S. Paulo

12 de dezembro de 2014 | 13h57

(Atualizada às 16h)

LONDRES - O Serviço Nacional de Tráfego Aéreo britânico (NATS, na sigla em inglês) anunciou que os voos foram restabelecidos nos aeroportos de Londres e do sul da Inglaterra, embora com atrasos, após um problema técnico em seu centro de controle tê-los forçado a paralisar as atividades.

O aeroporto de Heathrow, em Londres, o maior da Europa, anunciou que as partidas e chegadas foram restabelecidas, mas recomendou aos viajantes que consultem a situação de seus voos antes de ir ao terminal

Uma parte significativa do espaço aéreo da Grã-Bretanha ficou fechada devido a uma queda de energia no serviço de controle de tráfego aéreo de Swanwick, no sul da Inglaterra, causando atrasos em voos do Aeroporto de Heathrow, em Londres. O espaço aéreo de Londres é um dos mais movimentados do mundo.

Funcionários no Aeroporto Internacional Heathrow disseram que houve uma queda de potência no Serviço Nacional de Tráfego Aéreo (NATS, na sigla em inglês), em Swanwick, na Inglaterra. O fechamento ocorreu durante um período movimentado, no começo da semana em uma cidade com cinco aeroportos comerciais. "Os voos estão sofrendo atrasos e vamos atualizar os passageiros assim que tivermos mais informações", diz um comunicado emitido pelo aeroporto de Heathrow.

O incidente ocorreu pouco mais de um ano depois de um problema semelhante afetar Swanwick. Em 7 de dezembro de 2013, o local enfrentou uma interrupção nos serviços - causada por mudanças no sistema de comunicação -, que provocou o cancelamento de cerca de 300 voos e o atraso de centenas de decolagens. / AP e EFE

Tudo o que sabemos sobre:
Grã-Bretanhaespaço aéreo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.