Espaço aéreo dos EUA é parcialmente liberado

Os aeroportos de La Guardia, Kennedy e Newark, em Nova York, reiniciaram operações menos de 48 horas depois dos ataques terroristas às torres do World Trade Center. A Federal Aviation Administration (FAA), máxima autoridade norte-americana no setor de aviação civil, autorizou os vôos desviados de suas rotas a seguirem a seus destinos de origem, mas determinou que todo o restante do tráfego aéreo comercial permanecesse em terra.O secretário de transportes americano Norman Mineta disse que determinou à FAA a reabertura, "de maneira limitada", do espaço aéreo do país. Ele não forneceu hora ou data para a reabertura total serviço comercial aéreo.Medidas de segurançaA FFA determinou que todos os aeroportos, atualmente fechados, sigam novos procedimentos de segurança para que só depois sejam liberados para operar, como a proibição absoluta de porte de facas de todo tipo. Antes, facas com lâminas menores que 4 polegadas (dez centímetros) eram permitidas.Também estão proibidos os check-in realizados fora dos aeroportos. Oficiais da aeronáutica serão convocados a prestar serviço, atividade comum na década de 70, época em que houve onda de seqüestros de aviões. Também foi determinado que mais policiais estarão de plantão nos aeroportos do país.Os agentes de segurança dos aeroportos deverão ser mais rigorosos, e as empresas responsáveis pelo pessoal de segurança deverão se reportar à FAA.A maioria das companhias aéreas pretende reiniciar seus serviços, ao menos parcialmente, assim que as decolagens sejam autorizadas e os aeroportos, abertos. A Midway Airlines informou que suspendeu todas as operações de vôos indefinidamente, e que dispensou 1.700 funcionários. As informações são do site da CNN (www.cnn.com)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.