Espaçonave destruída nos EUA teve falha de frenagem

A nave espacial experimental da Virgin Galactic, que foi destruída em um acidente na última sexta-feira, sofreu um erro no sistema que reduz sua velocidade de queda. Nesta segunda-feira, investigadores dos Estados Unidos, ainda não se pode determinar a causa do acidente, mas o erro pode ter contribuído para a tragédia que deixou um morto e outra pessoa gravemente ferida.

Estadão Conteúdo

03 Novembro 2014 | 10h13

O sistema de frenagem da espaçonave possuía um mecanismo, ativado por meio de dois passos, que envolvia levantar e rotacionar a parte traseira do transporte para causar atrito na atmosfera e reduzir a velocidade ao retornar à atmosfera. Segundo autoridades, o copiloto acionou a primeira etapa para ligar a frenagem, mas o segundo comando ocorreu sem que tenha sido solicitado. Não se sabe ainda se o erro contribuiu para que a espaçonave se destroçasse no ar.

Segundo o presidente do Conselho Nacional de Segurança dos Transportes, Christopher Hart, o sistema foi ativado em Mach 1, a velocidade do som, mas só deveria ter começado a funcionar em Mach 1.4, a mais de 1,6 mil km/h.

Inicialmente, acreditou-se que a SpaceShipTwo havia explodido no ar, mas os investigadores dizem que encontraram os tanques e motores do foguete e afirmaram que não havia sinais de terem sido queimados ou violados. No acidente, o copiloto Mchael Alsbury, 39, foi morto, e o piloto Peter Siebold, 43, conseguiu acionar seu paraquedas de emergência e está no hospital em estado grave.

A Virgin Galactic, do grupo Virgin, que pertence ao bilionário Richard Branson, e da Aabar Investiments PJS de Abu Dhabi, planejava comercializar voos a partir de 2015. O preço inicial dos assentos está cotado em US$ 250 mil. Contudo, com o acidente, Branson afirmou no sábado que o projeto será interrompido até que a causa da queda seja determinada e os problemas, corrigidos.

A perda da SpaceShipTwo foi o segundo baque para as viagens espaciais comerciais em menos de uma semana. Na terça-feira, um foguete não tripulado que levava suprimentos para a Estação Espacial Internacional explodiu momentos após a decolagem na Virginia. Fonte: Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.