Espanha alerta para possíveis represálias do ETA

O governo espanhol alertou hoje sobre um possível novo ataque do grupo separatista Pátria Basca e Liberdade (ETA). A violência seria uma reação à detenção do líder do grupo basco na França. "O ETA está trabalhando para fazer malfeitorias", afirmou o ministro do Interior espanhol, Alfredo Pérez Rubalcaba. Segundo a autoridade, "quando mais acossados estejam, mais perigosos podem tornar-se (os membros do ETA)". "Nossa obrigação é dizer aos cidadãos espanhóis que temos que manter a guarda alta, porque desgraçadamente tentarão de novo."O ministro fez as declarações um dia depois da detenção de Aitzol Iriondo, junto a outros dois supostos membros do ETA, no Pirineus francês. Na mesma operação, outros três supostos membros do ETA foram detidos na localidade basca de Irún, na fronteira do País Basco com a França. As forças de segurança apontam que Iriondo, de 30 anos, tornou-se o número um da organização basca após a prisão de Garikoitz Aipiazu, apelidado de "Txeroki", há três semanas. Rubalcaba informou que as outras duas pessoas presas foram Eneko Zarrabeitia Salterain, de 27 anos, e Aitor Arteche Rodríguez, de 33.O ETA é considerado um grupo terrorista pela União Européia e pelos Estados Unidos. Já assassinou 825 pessoas desde que, em fins dos anos 1960, iniciou uma campanha de atentados para reivindicar a independência do País Basco. Duas semanas depois da prisão de "Txeroki", o ETA assassinou o empresário basco Ignacio Uría Mendizábal, em Aspeitia, no norte espanhol. O ministro informou que a polícia já busca o sucessor de Iriondo no comando da organização.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.