REUTERS/Sergio Perez
REUTERS/Sergio Perez

Espanha ameaça desistir de reunião do Brexit se não houver consenso sobre Gibraltar

Se não houver acordo, é obvio que a reunião não deve ocorrer, diz o primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez

O Estado de S.Paulo

23 de novembro de 2018 | 18h23

HAVANA - O primeiro-ministro da Espanha, Pedro Sánchez, disse nesta sexta-feira, 23, que a reunião de cúpula da União Europeia em Bruxelas no domingo para discutir o Brexit pode não ocorrer se não houver um consenso sobre a questão de Gibraltar, território britânico na Península Ibérica que se tornou um entrave nos últimos dias de negociação

"Se não houver acordo, é obvio que a reunião não deve ocorrer", disse Sánchez em Havana, onde participa de reunião oficial.

Na quinta-feira, o status de Gibraltar e de licenças de pesca em águas britânicas ainda eram um impasse nas negociações.  May conversou com Sánchez para assegurar que o Brexit se estenderá a todos os domínios do Reino Unido. “A soberania britânica em Gibraltar será protegida”, disse. Ainda de acordo com ela, o país não excluirá Gibraltar das negociações sobre a futura relação do país com a União Europeia (UE) e lembrou que há um protocolo sobre a cooperação entre Londres e Madri. 

Madri é contra o acordo por não apresentar uma linguagem clara sobre o território e pede negociações bilaterais sobre o tema.  

O Rochedo de Gibraltar, estratégico para a navegação comercial por sua posição na saída do Mar Mediterrâneo para o Oceano Atlântico foi ocupada pela Inglaterra em 1704 e foi cedido pela Espanha aos britânicos no Tratado de Utrecht, que pôs fim à Guerra de Sucessão Espanhola em 1713. Ao longo do século 20, Madri tentou, sem sucesso, retomar a península, que hoje desfruta do status de território ultramarino britânico. / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.