Espanha confirma morte de sete agentes no Iraque

Sete agentes do Centro Nacional de Inteligência espanhol (CNI) foram mortos ontem e um outro ferido levemente numa emboscada da guerrilha iraquiana contra um comboio de três carros comuns, numa estrada em Suwayrah, ao sul de Bagdá, informou o ministro da Defesa da Espanha, Federico Trillo. Os atacantes lançaram granadas propelidas por foguete contra os veículos e também dispararam com fuzis. Trillo anunciou que viajará para o Iraque, para buscar os corpos."O ataque ocorreu em uma área controlada pelo Exército americano, a uns 30 quilômetros de Bagdá", disse um porta-voz da força multinacional, o capitão espanhol Ivan Morgan, segundo o qual os agentes haviam concluído uma missão de reconhecimento e se dirigiam de Bagdá a Hilla, ao sul. Um porta-voz militar espanhol, Luis Estévez, informou que eles não faziam parte do contingente de 1.300 homens da Espanha que integram as forças de ocupação lideradas pelos EUA.Com as mortes, elevam-se para nove as baixas espanholas em ataques no Iraque. O país foi um dos mais firmes aliados do governo dos EUA na invasão. Há três semanas, um ataque com carro-bomba contra uma base militar no sul do Iraque matou 19 italianos e 14 iraquianos. Na cidade de Tikrit, no norte do Iraque, dois japoneses foram mortos, aparentemente numa emboscada, informou a Chancelaria do Japão. "Há uma grande possibilidade de que sejam diplomatas", disse um porta-voz, que não deu informações sobre a identidade deles. Não ficou claro se eles foram mortos pela guerrilha ou num assalto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.