Espanha deporta muçulmanos considerados ameaças

O governo espanhol deportou dois muçulmanos que eram considerados ameaças à segurança nacional,aplicando um artifício da lei de imigração raramente empregado pelas autoridades locais, informou neste domingo o jornal El País.Os dois deportados residiam legalmente na Espanha e não eram acusados de nenhum crime. Entretanto, acredita-se que eles envolveram-se indiretamente nos atentados de 11 de março contra Madri, nos quais 191 pessoas morreram e mais de 2.000 ficaramferidas.Fontes ligadas ao Ministério de Interior da Espanha disseram ao El País que os dois chegaram a ser interrogados no âmbito das investigações sobre os atentados. O ministério negou-se a comentar o assunto.O El País não informou a identidade dos dois muçulmanos nem revelou para qual país eles foram deportados, indicando apenas que um deles é marroquino. De acordo com o jornal, eles foram expulsos do país mediante recomendação de uma unidade da polícia espanhola especializada em extremismo islâmico.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.