Espanha descarta envio de tropas ao Iraque

O primeiro-ministro espanhol, José María Aznar, descartou nesta terça-feira a possibilidade de enviar forças de combate ao Iraque em caso de uma guerra. ?A Espanha não participará em missões de ataque´´, disse Aznar ao Parlamento depois de semanas de discussões sobre o envio de forças à região de conflito. ?Em conseqüência, não haverá tropas de combate espanholas no cenário de operações?.Aznar respalda incondicionalmente as ações de Washington. No entanto, as pesquisas de opinião mostram que a maioria dos espanhóis são contra a uma intervenção militar no Iraque, mesmo com o aval do Conselho de Segurança da ONU.Segundo Aznar, o governo espanhol enviará ao Golfo Pérsico o barco anfíbio Galicia, preparado como hospital flutuante e equipado com veículos e embarcações auxiliares para tratamento de feridos. O Galicia levará cerca de 120 marinheiros, engenheiros especializados em guerra química, biológica e nuclear. A Espanha também enviará uma fragata e o petroleiro Marqués de La Ensenada, em um total de 900 homens.O país ainda ofereceu a Turquia seis caças F-18 e um avião tanque, como parte de um compromisso dos membros da Otan para a defesa desse país que faz fronteira norte com o Iraque.Aznar participou no fim de semana de uma reunião no arquipélago de Açores e respaldou o uso da força para desarmar o Iraque e destituir Saddam Hussein do poder. A Espanha havia se unido com os EUA e a Grã-Bretanha para patrocinar um projeto de resolução no Conselho de Segurança, retirado nesta segunda-feira diante da falta de apoio majoritário e da ameaça de veto por parte da França

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.