Espanha desmantela rede de prostituição com brasileiras

A polícia espanhola desarticulou umaorganização dedicada a captar e introduzir na Espanha mulheresparaguaias e brasileiras para se prostituírem e deteve 33 pessoas. Fontes policiais informaram que as investigações começaram emmaio por causa de informações recebidas do Brasil, onde operava ainfra-estrutura de uma organização dedicada à captação de mulherespara seu envio à Espanha. As investigações levaram à identificação e localização dosprincipais responsáveis da rede. Descobriu-se que em diferentesclubes, propriedades da mesma pessoa, trabalhavam mulheres denacionalidade brasileira e paraguaia. O principal responsável e gerente dos clubes e sua companheiraentravam em contato com outros membros da rede no Paraguai e noBrasil encarregados de captar as mulheres. Algumas das mulheres que tinham trabalhado nos clubes tambémtentavam levar outras para a Espanha. A organização enviava dinheiropara os captadores para comprar as passagens e tirar o visto deturista para as jovens. Ao chegarem no país, eram levadas de carro aos clubes situados emRenedo de Piélagos, em Cantabria (norte), e em Ponferrada, naprovíncia de León. Ao chegarem ao local onde ficariam hospedadas, as mulheres eraminformadas de que tinham contraído uma dívida de três mil euros (US$3.750), uma quantia que era elevada pelas despesas derivadas doalojamento, que chegavam a 40 euros por dia (US$ 50). A dívida seriasaldada com o dinheiro proveniente da prostituição. Das 28 mulheres detidas, 24 são paraguaias, três brasileiras euma romena, em situação ilegal na Espanha. Além disso, foram detidosum paraguaio, uma brasileira e três espanhóis que seriam osresponsáveis pela rede.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.