Espanha diz que atentados recentes não foram do ETA

O governo espanhol disse nesta terça-feira que uma investigação preliminar mostrou que as duas explosões de bombas ocorridas ao norte da Espanha, no último final de semana, não foram ordenadas pelo grupo separatista ETA. Os ataques deixaram quatro pessoas feridas. Os líderes do partido ilegal Batasuna, considerado a extensão política do grupo terrorista, classificaram os atentados como "um incidente muito grave" e expressaram solidariedade ao feridos e o desejo de que não aconteçam mais ataques. O porta-voz do governo, Fernando Moraleda, disse que, com o comentário do Batasuna e os primeiros resultados das investigações policiais, "estamos chegando perto de poder afirmar que não houve envolvimento do ETA nos ataques". O ministro do Interior, Alfredo Perez Rubalcaba, disse que a polícia deverá ter a resposta do mandante dos ataques até o final desta semana. Os ataques No último sábado, uma loja na região de Navarra foi incendiada e, no domingo, coquetéis molotov foram lançados contra uma seguradora no País Basco. Três policiais municipais e um bebê de apenas dez meses foram hospitalizados por inalação de fumaça na explosão da loja. Mais de 50 apartamentos tiveram que ser evacuados por causa das chamas, que queimaram a maior parte do prédio. A seguradora atingida no País Basco não pegou fogo. O primeiro-ministro espanhol, Jose Luis Rodriguez Zapatero, disse que todos os ataques do ETA devem cessar para que haja uma chance de negociações de paz. Os atos violentos do fim de semana foram os primeiros desde que o cessar-fogo da ETA entrou em vigor, em 24 de março, e geraram dúvidas sobre as verdadeiras intenções do grupo armado.

Agencia Estado,

25 Abril 2006 | 12h06

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.