Espanha diz que EUA aceitam presos políticos de Cuba

Os Estados Unidos estão preparados para receber presos políticos cubanos libertados, segundo o Ministério de Relações Exteriores da Espanha. Um porta-voz do ministério afirmou que a secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, disse ao ministro de Relações Exteriores espanhol, Miguel Angel Moratinos, que os EUA aceitarão dissidentes cubanos, desde que a transferência não viole nenhuma lei.

AE-AP, Agência Estado

22 de agosto de 2010 | 14h01

Segundo o porta-voz, Hillary Clinton cumprimentou Moratinos pelo esforço conjunto da Espanha e da igreja católica para negociar a libertação dos dissidentes presos em uma onda repressiva, em março de 2003. Cerca de 75 dissidentes foram presos e condenados a longas penas de prisão por acusações que incluíam traição.

Em um acordo histórico depois de negociações com a igreja e a Espanha, Cuba aceitou soltar 52 prisioneiros, em 7 de julho. A Espanha já recebeu 25 dissidentes cubanos, mas alguns rejeitaram a libertação, dizendo que só iriam aos Estados Unidos. Todos os dissidentes soltos até agora concordaram em deixar Cuba com destino à Espanha; um deles, posteriormente, se estabeleceu no Chile.

A porta-voz da Embaixada dos Estados Unidos em Madri, Katherine Ortiz, não tinha detalhes sobre o assunto.

O porta-voz do ministério espanhol afirmou que Hillary Clinton também informou Moratinos sobre as negociações entre Israel e palestinos que acontecerão em Washington a partir de 2 de setembro. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
CubaEspanhaEUApresos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.