Espanha diz que não baixou guarda em cessar-fogo com ETA

A primeira vice-presidente do governo espanhol, María Teresa Fernández de la Vega, disse nesta quarta-feira, 10, que o Executivo não baixou a guarda "nem um só instante" durante os nove meses nos quais o grupo terrorista ETA manteve um cessar-fogo permanente.O governo agiu "com decisão e coragem, de maneira responsável e sem ceder um milímetro em nosso espaço democrático", acrescentou Fernández de la Vega, em declarações à imprensa.A ETA, grupo armado que assassinou mais de 850 pessoas desde 1968 em sua busca de um Estado basco independente, colocou em 30 de dezembro uma caminhonete bomba em um estacionamento do aeroporto de Madri, cuja explosão matou dois cidadãos equatorianos.Em comunicado divulgado na terça-feira, o grupo terrorista afirmou que, apesar do atentado - o primeiro desde maio de 2003 -, o cessar-fogo continua em vigor, mas alertou sobre novas ações armadas.Para a primeira vice-presidente, esse comunicado publicado no jornal basco Gara ratifica "de maneira clara que a ETA quebrou a trégua", e torna mais necessário do que nunca que as forças democráticas mostrem-se unidas para acabar com a violência.O Executivo tenta recompor a unidade dos partidos no âmbito antiterrorista através do ministro do Interior espanhol, Alfredo Pérez Rubalcaba, que conclui ainda nesta quarta uma rodada de contatos com os representantes de todos os grupos parlamentares.O objetivo é recuperar o consenso além do Pacto Antiterrorista, assinado em 2000 entre o Partido Socialista (Psoe) e o conservador Partido Popular (PP), e incluir também os grupos nacionalistas bascos, a que o PP se opõe.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.