Mohamad Torokman/Reuters
Mohamad Torokman/Reuters

Espanha estaria disposta a oferecer asilo a Assad

Segundo 'El País', enviado espanhol teria feito proposta para formar um governo de transição

estadão.com.br

15 de agosto de 2011 | 12h55

Atualizado às 13h51

 

MADRI - O governo da Espanha estaria disposto a oferecer asilo ao presidente da Síria, Bashar al-Assad, como parte de um acordo para uma saída pacífica para a atual crise no país árabe, segundo informações do jornal espanhol El País.

 

Veja também: 

especialInfográfico: A revolta que abalou o Oriente Médio

 

O presidente da Espanha, José Luis Rodríguez Zapatero, teria enviado em segredo o conselheiro Bernardino León à Síria no mês passado com a intenção de propor uma conferência em Madri. O representante espanhol usou seu passaporte normal, ao invés do diplomático, e não chegou a pisar nenhuma vez em um prédio do governo sírio, buscando manter segredo sobre sua missão.

 

A proposta do enviado espanhol ao governo sírio abrangeria três pontos: o fim da repressão e a prisão de todos os responsáveis diretos pela violência; organizar em Madri uma conferência nacional de todas as forças sírias para esboçar um calendário para uma transição; e formar um governo com os principais representantes da oposição.

 

A Turquia, que compartilha com a Espanha a liderança da Aliança das Civilizações, acompanharia este processo.

 

Se o acordo for aceito, o governo espanhol estaria disposto a dar asilo a Assad e sua família, mas, até o momento, nada foi pedido nem tampouco oferecido, indicam fontes diplomáticas.

 

"Minha impressão é de que não irão ceder em nada substancial", disse León no retorno de sua missão a um diplomata que falou com ao jornal El País. "Meus interlocutores estão longe da realidade", teria dito o enviado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.