Espanha extradita membro do 'Panteras cor-de rosa'

Um suposto integrante do grupo "Panteras Cor-de-Rosa", uma quadrilha internacional de ladrões de joias, está sendo extraditado da Espanha para o Japão sob a acusação de envolvimento no roubo de uma tiara de diamantes avaliada em US$ 2 milhões de uma loja em Tóquio há três anos, segundo informações divulgadas neste sábado pelo Ministério do Interior da Espanha e pela imprensa japonesa.

AE-AP, Agência Estado

14 de agosto de 2010 | 09h54

Rifat Hadziahmetovic, de 42 anos, suspeito de roubar a tiara e outras joias de uma loja localizada na região central de Tóquio, em 2007, foi entregue a autoridades japonesas neste sábado, antes de ser transportado para o Japão, informou um comunicado do ministério espanhol. Hadziahmetovic, natural de Montenegro, às margens do Mar Adriático, foi preso no Chipre no ano passado ao tentar deixar a ilha localizada no Mar Egeu com um passaporte falso. Posteriormente, ele foi extraditado para a Espanha, sob suspeita de ter participado de um assalto na ilha espanhola de Tenerife em 2008, mas o governo espanhol concordou em entregá-lo para o Japão.

Investigadores acreditam que os integrantes da gangue "Panteras Cor-de-Rosa", cujo nome remete ao filme protagonizado pelo ator Peter Sellers, têm suas origens ligadas a países localizados na região dos Bálcãs. Acredita-se que a quadrilha teria mais de 200 membros. Os assaltos são rápidos, já que duram no máximo três minutos. Embora seus membros não carreguem armas em suas operações, a polícia considera a gangue muito perigosa e acredita que vários de seus membros passaram por treinamento militar. A gangue é conhecida pela criatividade em seus assaltos. Na ação em Tóquio, os ladrões usaram bicicletas para escaparem pelas ruas congestionadas de Tóquio, enquanto em uma operação na França, fugiram em um barco motorizado.

Após um roubo em Londres, a quadrilha escondeu um anel de diamantes no valor de US$ 1,28 milhão em um pote de um creme facial, segundo o comunicado do ministério espanhol. Esse episódio foi o que deu origem ao nome da gangue, já que uma tática semelhante foi usada no filme "Pantera Cor-de-Rosa". Os integrantes da quadrilha são os principais suspeitos de uma série de roubos de joias, avaliadas em mais de US$ 150 milhões, na Europa, Ásia e no Golfo Pérsico. Vários membros da quadrilha já foram presos, mas outros ainda seguem foragidos. Hadziahmeovic é suspeito também de ter participado de outros assaltos no Bahrein, Japão e Emirados Árabes Unidos.

Tudo o que sabemos sobre:
EspanhaJapãojoias

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.