Espanha fica em alerta no dia do 50º aniversário do ETA

As forças espanholas de segurança estão em alerta máximo hoje em razão do 50º aniversário da fundação do grupo separatista Pátria Basca e Liberdade (ETA), ao qual são atribuídos dois atentados que resultaram na morte de duas pessoas e deixaram dezenas de feridos nos últimos dias. "O governo deu instruções às forças de segurança para que aumentem ao máximo a vigilância, redobrem a entrega, para que se esforcem ainda mais e também se protejam", anunciou ontem o primeiro-ministro da Espanha, José Luis Rodríguez Zapatero.

AE-AP, Agencia Estado

31 de julho de 2009 | 09h58

A intensificação da presença policial pode ser percebida hoje em todo o país desde as primeiras horas do dia, com postos de controle estabelecidos inclusive em algumas áreas dentro de grandes cidades. Fundado em 31 de julho de 1959, o ETA é responsabilizado por mais de 800 mortes desde o fim da década de 1960, quando o grupo passou a recorrer à violência em sua campanha por um País Basco independente numa área que abrange o nordeste da Espanha e o sudoeste da França.

O governo espanhol acusa o ETA de estar por trás de dois ataques a bomba perpetrados esta semana no país. Ontem, dois agentes da Guarda Civil morreram em um atentado em Mallorca, nas Ilhas Baleares. Na quarta-feira, dezenas de pessoas ficaram feridas na explosão de um carro-bomba em Burgos, no norte da Espanha. Nos dois casos, os alvos foram alojamentos da Guarda Civil. Se confirmada a autoria dos ataques, os atentados desta semana representariam uma tentativa de demonstração de força do ETA depois de uma sucessão de reveses em ações promovidas pelas polícias da Espanha e da França.

Tudo o que sabemos sobre:
EspanhaalertaaniversárioETA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.