Espanha já conta com três suicídios ligados a despejo

A morte de um espanhol de 50 anos pode ser o terceiro caso de suicídio cometido por motivo de despejo domiciliar em menos de um mês no país. Segundo a polícia, o homem, que mora em Córdoba, se jogou de uma janela nesta sexta-feira, um dia depois que o governo anunciou uma suspensão de emergência para execuções hipotecárias.

AE, Agência Estado

16 de novembro de 2012 | 10h58

O homem morto enfrentava um processo de despejo, mas não há confirmação imediata se ele era inquilino ou proprietário da casa, nem se o despejo está relacionado a problemas financeiros. Ontem, o governo da Espanha anunciou a suspensão de dois anos para os despejos domiciliares de pessoas mais vulneráveis, após pressão popular devido aos suicídios ligados a uma onda de execuções de hipotecas.

No dia 9 de novembro, a ex-política socialista Amaia Egana, de 53 anos, pulou da janela de seu apartamento no município basco de Baracaldo, enquanto oficiais de justiça estavam a caminho para despejá-la. Seu suicídio aconteceu 15 dias depois da morte de José Luis Domingo, também de 53 anos, que se enforcou pouco antes dos agentes chegarem à sua casa, na cidade de Granada. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Espanhasuicídiodespejo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.