Espanha lamenta nacionalização e exige indenização da Bolívia

No sábado, La Paz anunciou a expropriação de empresas espanholas e desatou nova crise com Madri

LA PAZ, O Estado de S.Paulo

31 de dezembro de 2012 | 02h06

O governo da Espanha lamentou ontem a nacionalização pela Bolívia de filiais da Iberdrola, empresa espanhola que atua na distribuição de gás natural e energia elétrica. Madri exigiu uma "indenização justa" para os proprietários. Em nota, a chancelaria espanhola destacou a necessidade de manter a "segurança jurídica" no país. De acordo com o jornal El País, foi a segunda nacionalização de empresas espanholas pela Bolívia em menos de oito meses.

Ontem, o governo boliviano afirmou que espera ter uma reunião "cordial" com os executivos da Iberdrola, que seria realizada na semana que vem. "Acredito que eles estejam aqui (em La Paz) na semana que vem. Conversaremos com eles sempre em um ambiente cordial para ver de que maneira podemos chegar a uma solução que seja favorável para todas as partes", afirmou Juan José Sosa, ministro boliviano da Energia.

A decisão de nacionalizar as filiais da Iberdrola foi anunciada por Evo no sábado. Policiais bolivianos ocuparam os principais prédios das companhias. Duas delas são responsáveis pela distribuição de energia nas cidades de La Paz e de Oruro.

De acordo com Evo, a nacionalização servirá para garantir tarifas rurais e urbanas igualitárias, além de melhorar os serviços no campo. O presidente boliviano prometeu ainda uma indenização justa aos espanhóis. Desde 2006, La Paz vem nacionalizando regularmente empresas privadas. Entre os principais alvos estão companhias de petróleo, gás e de telecomunicações.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.