Espanha liberta suspeitos de ligação com Al-Qaeda

Um juiz espanhol ordenou a libertação de dois norte-africanos que foram detidos meses atrás junto a 14 outras pessoas, sob a suspeita de que planejavam atentados terroristas para a rede Al-Qaeda. Os 16 homens - hoje todos em liberdade - foram detidos em várias cidades espanholas em 24 de janeiro. Os suspeitos permaneceram na prisão enquanto as autoridades espanholas investigavam se eles pertenciam a organizações com vínculos com a Al-Qaeda, de Osama bin Laden.O juiz Guillermo Polanco, encarregado da investigação, determinou a libertação de 14 dos suspeitos em 14 de março e dos dois restantes nesta segunda-feira. De acordo com o magistrado, a Justiça carece de provas suficientes para manter os suspeitos na prisão. Mohamed Amine Benabura e Mohamed Tahraoui recuperaram a liberdade hoje, mas tiveram que pagar uma multa de US$ 700 cada um.Em janeiro, as autoridades espanholas afirmaram que os suspeitos tinham explosivos, produtos químicos e fios elétricos, e que planejavam utilizar o material em ataques. O primeiro-ministro José María Aznar chegou a garantir que os homens tinham vínculos com o líder terrorista Abu Musaab Zarqawi e que, por esta razão, a guerra contra o Iraque estava justificada. Provas de laboratório indicaram, no entanto, que os produtos químicos não eram nocivos e em alguns casos não passavam de detergente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.