Espanha: mais de 600 mil pedem independência catalã

Centenas de milhares de pessoas tomaram as ruas de Barcelona, na Catalunha, nesta terça-feira para exigir que a região autônoma se separe da Espanha e controle sua própria economia. Segundo os organizadores da manifestação, milhares de ônibus levaram à cidade catalães que defendem a independência para participarem de uma marcha no dia nacional da região, chamado de Diada. Segundo os organizadores, a manifestação reuniu 1,5 milhão de pessoas, mas a Guarda Municipal confirmou que 600 mil pessoas tomaram as ruas, informou o jornal espanhol El País.

AE, Agência Estado

11 de setembro de 2012 | 19h13

O presidente da região autônoma da Catalunha, Artur Mas, recebeu um abaixo assinado de populares exigindo que ele apresente ao Parlamento local o pedido de secessão do resto da Espanha. Segundo o El País, os separatistas têm atualmente apenas 14 dos 135 deputados do Parlamento local.

Ardentemente orgulhosos de sua língua distinta do espanhol e de sua cultura, os catalães sentem cada vez mais que estão recebendo um tratamento injusto do governo central de Madri. A marcha ocorreu sob o slogan "Catalunha, um novo Estado europeu".

O centro de Barcelona foi tomado pelos manifestantes. Segundo a Associated Press, o comparecimento à celebração do dia nacional catalão foi o maior em muitos anos. Populares colocaram flores no túmulo dos defensores de Barcelona, que morreram em 1714 lutando contra tropas castelhanas durante uma rebelião catalã contra o rei Felipe V.

No mês passado, a Catalunha pediu 5 bilhões de euros (US$ 6,3 bilhões) do fundo de resgate do governo central para poder reembolsar uma dívida de 40 bilhões de euros, equivalente a um quinto da produção econômica total da região. Mas o governo catalão, liderado por Artur Mas, e a aliança política pró-autonomia Convergência e União, afirmam que a região está apenas pedindo seu dinheiro de volta.

A Catalunha, que corresponde a um quinto da economia da Espanha, diz que paga ao governo central mais em impostos do que recebe em troca: um déficit de 7 bilhões de euros a 8 bilhões de euros por ano.

Os manifestantes se reuniram na Praça de Catalunha, que estava coberta por bandeiras catalãs vermelhas e amarelas. "A crise nos dá mais razões para a independência", afirmou a advogada de 24 anos Mar Tarres, que participou da manifestação. Euralia Gili, uma pensionista de 68 anos, declarou que os catalães sentem que estão vivendo em uma colônia.

As informações são da Associated Press e da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.