Espanha: mais de 800 mil protestam contra medidas

Mais de 800 mil pessoas se reuniram em toda a Espanha nesta quarta-feira em grandes manifestações contra as medidas de austeridade, marcando um dia de greves e passeatas em toda a Europa. Os protestos foram violentos em algumas regiões, levando a 155 prisões e deixando 77 feridos, incluindo 43 policiais, segundo dados do Ministério do Interior do país.

Agência Estado

15 de novembro de 2012 | 12h13

No entanto, as estimativas do governo para o número de manifestantes podem ser conservadoras. Com base em imagens fotográficas e estimativas de densidade da multidão, o jornal El País calculou que só no centro de Madrid o número de manifestantes chegou a 175 mil. Enquanto isso, o dados estatais indicaram apenas 35 mil pessoas no local.

A quarta-feira também contou com a segunda greve geral em oito meses na Espanha. Os principais sindicatos do país disseram que milhões de trabalhadores aderiram à greve e mais de um milhão participaram do protesto em Madri contra as medidas de austeridade.

Jovens espanhóis queimaram lixeiras no centro de Madri, quebraram as janelas de um restaurante e atiraram garrafas e pedras contra a polícia, que respondeu com balas de borracha e golpes de cassetetes. Em Barcelona, os manifestantes deixaram uma van da polícia em chamas. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.