Espanha nega participação em morte de marroquinos

O Ministério do Interior da Espanha postou vídeos nos quais mostram a polícia disparando balas de borracha contra migrantes que nadavam do Marrocos para a Espanha em 6 de fevereiro, mas negou que essa ação tenha contribuído para que 15 pessoas se afogassem.

AE, Agência Estado

22 de fevereiro de 2014 | 02h05

O ministro do Interior, Jorge Fernandez Diaz, disse que a polícia atirou os projeteis à frente dos migrantes, não diretamente a eles. Ele se defendeu dizendo que todas as vítimas se afogaram em águas marroquinas.

Inicialmente, as autoridades espanholas haviam negado a utilização de balas de borracha, mas Diaz voltou atrás e reconheceu em 13 de fevereiro, diante do Parlamento, os disparos da polícia. Ele também afirmou que 23 migrantes chegaram em segurança no território espanhol, o que contradiz a acusação de que a polícia teria agido com má intenção. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
ESPANHAMARROCOS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.