Espanha pede à Venezuela extradição de suposto membro da ETA

Arturo Cubillas é acusado de intermediar relações entre separatistas bascos e guerrilha colombiana

Agência Estado e Associated Press

18 de outubro de 2010 | 12h38

MADRI - A promotoria da Espanha pediu nesta segunda-feira, 18, a extradição do suposto membro do grupo separatista Pátria Basca e Liberdade (ETA) Arturo Cubillas, que vive na Venezuela e é ex-funcionário do governo do país. Cubillas é acusado de colaborar com o grupo separatista.

 

A petição se dirige ao juiz da Audiência Nacional Eloy Velasco, que deverá decidir nos próximos dias se propõe a demanda de extradição ao governo espanhol, encarregado em última instância de pedi-la às autoridades venezuelanas.

 

No processo aberto em março passado por Velasco, Cubillas é acusado de ser intermediário de uma aliança entre o ETA e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), sob o suposto apoio do presidente Hugo Chávez. O líder venezuelano sempre negou essa relação.

 

Recentemente, dois membros do ETA presos no País Basco garantiram que Cubillas organizou um curso sobre o manejo de armas na Venezuela, em 2008.

Tudo o que sabemos sobre:
EspanhaETAmembroextradição

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.