Espanha pede extradição de acusado de treinar membros da ETA na Venezuela

Arturo Cubillas é acusado de treinar membros do grupo separatista basco no país

AP,

29 de outubro de 2010 | 13h41

CARACAS - O governo da Espanha pediu nesta sexta-feira, 29, a extradição do espanhol naturalizado venezuelano Arturo Cubillas a Caracas. Ele é acusado de treinar membros do grupo separatista basco ETA, do qual supostamente faz parte, no país.

De acordo com o vice-premiê espanhol, Alfredo Pérez Rubalcaba, que também é ministro do Interior, o pedido de extradição formulado pelo juiz Eloy Velasco foi acatado por seu gabinete.

Segundo a Justiça espanhola, Cubillas, que é funcionário do governo venezuelano, ministrou cursos de treinamento com explosivos a membros da ETA entre julho e agosto de 2008 na Venezuela.

O presidente venezuelano, Hugo Chávez, nega que membros do grupo tenham sido treinados em seu país.

Tudo o que sabemos sobre:
VenezuelaEspanhaETA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.