Espanha: Premiê diz que acusações contra Rato prejudicam seu partido

O primeiro-ministro da Espanha, Mariano Rajoy, disse neste sábado que as acusações de fraude e lavagem de dinheiro contra Rodrigo Rato, ex-diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI) e também ex-ministro das Finanças e ex-vice-primeiro-ministro do país, prejudicam seu partido antes da eleições na Espanha, que ocorrem no final do ano.

Estadão Conteúdo

18 de abril de 2015 | 16h25

Rajoy afirmou que as acusações contra Rato "afetam particularmente o Partido Democrata Popular", pois o ex-ministro "foi um de seus nomes mais importantes".

Rato foi detido por algumas horas na quinta-feira enquanto a polícia fazia buscas em sua casa e escritório, mas logo foi liberado na madrugada de sexta-feira. Ele foi diretor-gerente do FMI de 2004 a 2007. Fonte: Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.