Espanha: primeiro-ministro defende medidas austeras

O primeiro-ministro da Espanha, Mariano Rajoy, defendeu neste domingo as duras medidas de austeridade de seu governo destinadas a melhorar a previsão econômica sombria para o país, um dia após dezenas de milhares de espanhóis saírem às ruas para protestar contra o modo que ele conduz a pior crise na Espanha em décadas. Rajoy disse que as medidas eram "necessárias", haja vista a terrível situação do país, com uma taxa de desemprego de quase 25%.

RENAN CARREIRA, Agência Estado

13 Maio 2012 | 13h31

"Estamos fazendo o que é preciso e isso significa tomar decisões difíceis", afirmou. "Estamos fazendo coisas que não estavam em nossa plataforma de campanha, mas tivemos de fazê-las", disse ele. "Há decisões de que não gostamos, porém digo a vocês que vamos continuar tomando as decisões necessárias para ver a Espanha superar essa situação."

Cerca de 70 mil pessoas protestaram neste sábado na Espanha, de acordo com a polícia, com 30 mil em Barcelona e 22 mil em Madri. Hoje, a polícia informou que prendeu 18 manifestantes que passaram a noite na área de Puerta del Sol pedindo pelo fim do que consideram medidas radicais feitas pelo governo. As informações são da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
EspanhaMariano Rajoymedidas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.