Efe
Efe

Espanha promete ir à ONU contra britânicos em disputa por Gibraltar

Chancelaria espanhola cogita de se unir à demanda argentina pelas Malvinas

O Estado de S. Paulo,

12 de agosto de 2013 | 10h40

MADRI - O governo da Espanha anunciou nesta segunda-feira, 12, que pretende levar a disputa com a Grã-Bretanha sobre o território de Gibraltar à ONU. Madri também estuda se unir à Argentina, que tem sua própria disputa com sobre a soberania das ilhas Malvinas,(Falklands, para os britânicos) em tribunais internacionais. Os britânicos, por sua vez, considera seriamente tomar uma ação judicial contra os espanhóis, que têm endurecido a fiscalização da entrada de pessoas no território.

"Estamos avaliando a possibilidade de ir a organizações como a ONU, o Conselho de Segurança e o Tribunal de Haia. São possibilidades, ainda não tomamos nenhuma decisão", afirmou em nota a chancelaria espanhola.

"Isso também está sendo avaliado. Há elementos comuns na questão das Malvinas e de Gibraltar e elementos que são mais distantes."

As tensões sobre Gibraltar, território britânico no Mediterrâneo reivindicado pelos espanhóis, surgiram no início do mês, quando a Espanha queixou-se que um recife artificial que está sendo construído por Gibraltar iria bloquear os seus navios de pesca.

A Espanha impôs medidas como um fiscalização mais rigorosa para as pessoas que entram no país a partir de Gibraltar, provocando atrasos para milhares de turistas e cidadãos locais. Madri também cogita cobrar taxas mais caras para a entrada no país e impor restrições sobre o uso do espaço aéreo para voos que vão para o aeroporto de Gibraltar.

O porta-voz de Cameron disse que a Grã-Bretanha considera as verificações espanholas mais rígidas na fronteira "politicamente motivadas e totalmente desproporcionais", e devem ser retiradas.

A Espanha cedeu Gibraltar à Inglaterra de forma perpétua em 1713 sob o Tratado de Utrecht, mas há tempos afirma que o território deve ser devolvido à soberania espanhola. Londres diz que não fará nada contra o desejo da população local, que é firmemente favorável ao domínio britânico.

As tensões a respeito do território aumentaram no mês passado, depois de Gibraltar colocar 70 blocos de concreto em águas disputadas de sua costa, com o objetivo de criar um recife artificial.  Madri acusa Gibraltar de criar o recife para evitar que pescadores espanhóis joguem suas redes nas águas ao redor do território britânico e respondeu à medida intensificando os controles na fronteira com Gibraltar, o que provocou longos engarrafamentos de carros.

Uma série de navios de guerra britânicos tomou o rumo do Mediterrâneo nesta segunda-feira, para o que o Ministério da Defesa afirmou serem exercícios de rotina, planejados meses atrás. Uma das embarcações deve aportar em Gibraltar na semana que vem. / AP E REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
Gibraltar

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.